• PET Nutrição

O que é ritmo circadiano e qual a sua influência no comportamento alimentar?

por Rafaela Kobus


Ritmo circadiano é originário do latim “circa diem” que significa cerca de um dia e é um conjunto de mecanismos biológicos em que ocorrem processos que se repetem a cada vinte quatro horas (MARQUES; MENNA-BARRETO, 2003). Esses mecanismos são regulados pelo núcleo supraquiasmático localizado no hipotálamo. O relógio do núcleo supraquiasmático pode funcionar de forma autônoma sem qualquer interferência externa ou pode ser alterado em resposta à mediação ambiental, como o ciclo claro e escuro (ASHER; SASSONE-CORSI, 2015). Ele funciona como um orientador para os “relógios periféricos” presentes em todos os tecidos e células do corpo (SAINI et al., 2011) e é responsável por manter a sincronização e harmonia entre os sistemas fisiológicos e moleculares, controlando os ciclos de sono e vigília, comportamento alimentar, temperatura corporal e níveis hormonais (ASHER; SASSONE-CORSI, 2015).

Quando não ocorre a sincronização, o ritmo circadiano gera alterações hormonais, principalmente nos hormônios leptina e grelina, os quais estão associados à alteração da fome em nível hipotalâmico (TAHERI et al., 2004). A grelina é um potente estimulador de apetite e seu aumento está relacionado principalmente com a privação de sono que gera alteração dos ciclos de sono e vigília. Enquanto que a leptina suprime a ingestão de energia e seus baixos níveis associados aos elevados de grelina estão correlacionados ao aumento de índice de massa corporal (TAHERI et al., 2004) devido à variação do comportamento alimentar gerada por esses hormônios.

Dessa forma, a alteração do ciclo circadiano pode desregular o comportamento alimentar (CRISPIM et al., 2007), influenciando no número, tamanho e horário das refeições (GATENBY et al., 1997). Essas modificações podem aumentar o apetite e favorecer a preferência por alimentos mais calóricos (SUDO; OHTSUKA, 2001), além de estarem associadas com um risco maior de desenvolver obesidade, diabetes, síndrome metabólica (MUSSARA, 2016) e até mesmo câncer a longo prazo (DAVIS; MIRICK, 2006).

Desse modo, o momento de ingestão, que é também controlado pelo ciclo circadiano, é crítico para o bem-estar de um indivíduo, havendo relação entre pular o café da manhã, almoço ou jantar, ou comê-los em horários fora do comum para a sociedade e seu efeito significativo sobre o ganho de peso. A perda de peso corporal por meio do controle da ingestão de energia através de dietas provou ser árdua durante um período prolongado de tempo, revelando que é um desafio para a maior parte das pessoas manter um peso equilibrado (ELFHAG; ROSSNER, 2005). Assim, uma melhor compreensão do papel do ritmo circadiano na regulação do comportamento alimentar e consequentemente do peso corporal poderia ter importantes implicações no combate à epidemia de obesidade existente atualmente (ARBLE et al, 2009). Uma estratégia preventiva baseada na modificação do momento da ingestão de alimentos e outros comportamentos alimentares poderia auxiliar a redução na incidência crescente de obesidade e distúrbios cardiometabólicos presentes no mundo nos dias de hoje (ARBLE et al, 2009).

Assim, a “crono-nutrição”, nutrição relacionada ao ciclo circadiano, refere-se à administração de alimentos em coordenação com os ritmos diários do corpo (ARBLE et al, 2009) e tem grande efeito sobre o comportamento alimentar de qualquer ser humano. Esse conceito reflete a ideia básica de que, além da quantidade e do conteúdo dos alimentos, o momento em que o indivíduo ingere-o tem extrema importância nos processos fisiológicos que se seguem e, dessa forma, pode ser utilizado na prevenção da obesidade e várias outras patologias metabólicas (ASHER; SASSONE-CORSI, 2015), proporcionando uma melhor qualidade de vida a longo prazo.


Palavras chave: ritmo circadiano, comportamento alimentar, obesidade.


Referências


ARBLE, Deanna M. et al. Circadian Timing of Food Intake Contributes to Weight Gain. Obesity, [s.l.], v. 17, n. 11, p.2100-2102, 3 set. 2009. Wiley. http://dx.doi.org/10.1038/oby.2009.264.


ASHER, Gad; SASSONE-CORSI, Paolo. Time for Food: The Intimate Interplay between Nutrition, Metabolism, and the Circadian Clock. Cell, [s.l.], v. 161, n. 1, p.84-92, mar. 2015. Disponível em: <https://www.cell.com/cell/fulltext/S0092-8674(15)00302-5>. Acesso em: 29 maio 2018.


CRISPIM, Cibele Aparecida et al. Relação entre sono e obesidade: uma revisão da literatura. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia, [s.l.], v. 51, n. 7, p.1041-1049, out. 2007. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-27302007000700004>. Acesso em: 29 maio 2018.


DAVIS, Scott; MIRICK, Dana K.. Circadian Disruption, Shift Work and the Risk of Cancer: A Summary of the Evidence and Studies in Seattle. Cancer Causes & Control, [s.l.], v. 17, n. 4, p.539-545, maio 2006. Disponível em: <https://link.springer.com/article/10.1007/s10552-005-9010-9>. Acesso em: 29 maio 2018.


ELFHAG, K.; ROSSNER, S.. Who succeeds in maintaining weight loss? A conceptual review of factors associated with weight loss maintenance and weight regain. Obesity Reviews, [s.l.], v. 6, n. 1, p.67-85, fev. 2005. Wiley. http://dx.doi.org/10.1111/j.1467-789x.2005.00170.x.


GATENBY, S J et al. Extended use of foods modified in fat and sugar content: nutritional implications in a free-living female population. The American Journal Of Clinical Nutrition, [s.l.], v. 65, n. 6, p.1867-1873, 1 jun. 1997. Oxford University Press (OUP). http://dx.doi.org/10.1093/ajcn/65.6.1867.


MARQUES, Nelson; MENNA-BARRETO, Luiz. Cronobiologia: Princípios e Aplicações. São Paulo: Edusp, 2003.


MUSSARRA, C. O. Afecta la llum al metabolisme? 2016. 42 f. TCC (Graduação) - Curso de Fármacia, Fisiologia e Fisiopatologia, Universidade de Barcelona, Barcelona, 2016. Disponível em: <http://diposit.ub.edu/dspace/bitstream/2445/102108/1/TFG CLARA OLIVA.pdf>. Acesso em: 29 maio 2018.


SAINI, C. et al. The Mammalian Circadian Timing System: Synchronization of Peripheral Clocks. Cold Spring Harbor Symposia On Quantitative Biology, [s.l.], v. 76, p.39-47, 1 jan. 2011. Cold Spring Harbor Laboratory. http://dx.doi.org/10.1101/sqb.2011.76.010918.


SUDO, N.; OHTSUKA, R.. Nutrient intake among female shift workers in a computer factory in Japan. International Journal Of Food Sciences And Nutrition, [s.l.], v. 52, n. 4, p.367-378, jan. 2001. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/11474902>. Acesso em: 22 maio 2018.


TAHERI, Shahrad et al. Short Sleep Duration Is Associated with Reduced Leptin, Elevated Ghrelin, and Increased Body Mass Index. Plos Medicine, [s.l.], v. 1, n. 3, p.210-217, 7 dez. 2004. Disponível em: <http://journals.plos.org/plosmedicine/article

45 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo